vinhos de quinta - farm wines
Excerto do filme "Pátio das Cantigas"
O vinho Gravato deve seu nome a uma batalha na qual as tropas anglo-portuguesas saíram vitoriosas, tendo como adversários os franceses que se viram forçados a sair de Portugal. Foi a batalha do Gravato que teve lugar a 3 de Abril de 1811.

Batalha de Gravato - autor desconhecido

Já no século XX o Palhete teve grande destaque porque era um vinho muito afamado nas grandes cidades, nomeadamente Lisboa e Porto. O ator Vasco Santana refere-se a ele no filme "O Pátio das Cantigas" onde após furar a parede do Evaristo exclama: Não é milagre, é palhete!

Temos como missão não só a manutenção do romantismo do vinho mas também a preservação do meio ambiente. Por isso fazemos questão de utilizar rolhas de cortiça nas nossas garrafas, pela conservação dos animais do montado e também de todos os outros que estão ligados à viticultura, directa ou indirectamente. Não é então estranha a presença de perdizes, raposas e muitos outros animais pelas imediações das vinhas. Deste modo esperamos que cada vez mais as pessoas consigam desfrutar não só de um bom vinho mas também da presença dos animais e da preservação do habitat natural da região.

Gravato Tinto Vinhas Velhas

Este “Gravato Vinhas Velhas” é um vinho de cor rubi produzido a partir de uma mistura de uvas brancas e tintas. Proveniente de vinhas com mais de 75 anos, conjugado com a experiência adquirida na produção dos nossos Palhetes. Sustentados por um terroir composto por quartzo e granito que dão-lhe uma frescura natural, o que permite que o possa consumir fresco. Todo o processo de elaboração baseia-se na produção natural. As características do solo, a qualidade das uvas, o microclima, a higiene na produção, engarrafamento e as técnicas utilizadas em países com uma viticultura mais avançada, concebem um vinho saudável e acrescido de qualidades únicas, mantendo-se todas as boas características do vinho de quinta sem envelhecimento em madeira.
Gravato Tinto Touriga Nacional

Este Gravato Tinto é um vinho monocasta Touriga Nacional, tem um equilíbrio dificilmente encontrado, os seus taninos, o álcool e a sua acidez, causam à boca um paladar robusto mas elegante, coadunado com o seu persistente aroma e uma cor vermelha quase opaca. Elaborado a partir de videiras com mais de 25 anos e com a experiência adquirida em produções anteriores, decidimos que de futuro será sempre um GARRAFEIRA, vinho com um enorme poder de envelhecimento. Quando se abre uma garrafa, ela dura cerca de uma semana em boas condições de consumo, o ideal para ser servido a copo na restauração ou em casa.
Gravato Palhete

Até ao sec XVIII todos os vinhos eram feitos deste modo, uma mistura em fermentação conjunta de uvas brancas e tintas .Hoje em dia poucos são os que se lembram do Vinho de Mêda também conhecido como "Palhete da Mêda", mas os que se lembram recordam com saudade o tão afamado vinho e anseiam por uma oportunidade para partir numa viagem em senda dos sabores do passado. Os mais jovens, que em grande parte desconhecem o vinho aproveitam e agradecem a possibilidade que lhes é dada para provar um vinho diferente. Nota-se, assim que se lhe tira a rolha, o cheiro a adega invade os nossos sentidos e a sua espantosa côr brilha nos nossos olhos como se de um verdadeiro rubi se tratasse. Este é um vinho de aroma frutado com notas de frutos vermelhos e especiarias. À boca apresenta um grande equilíbrio com uma acidez muito refrescante, harmoniosamente conjugada com taninos ligeiros suaves e uma boa persistência aromática.

Esta é a receita do nosso Gravato Palhete 2005, 55% uvas brancas, 45% uvas pretas, fermentação conjunta, feito a partir de Castas Autóctones da região entre o Alto Douro e a Beira Interior com cerca de 75 anos. Vinho de pouco trabalho humano na sua realização, faz-se praticamente sozinho, no terreno não são utilizados herbicidas nem tão pouco adubos, tudo isto é obtido a partir de um rebanho de ovelhas que pasta na vinha durante todo o Inverno.


Sopa de pão, vinho e açucar
Rui Marchante - ©2014 Luís Roboredo